Dilma se irrita em entrevista e apresenta sinais de Alzheimer

Na entrevista que concedeu nesta segunda-feira a jornalistas do grupo RBS, no Palácio da Alvorada, a presidente Dilma Rousseff foi cobrada por obras que não andaram como deveriam. É o caso da BR-470 entre Blumenau e Itajaí, que não tem sequer um quilômetro de asfalto pronto.

A presidente tentou compensar citando empreendimentos federais realizados em Santa Catarina. Mas se atrapalhou, perdeu a paciência e distribuiu dois dos vocativos que usa quando está irritada: “Minha filha” e “Querido”.

Na entrevista, Dilma argumenta: “Tem várias obras que nós concluímos. Eu queria destacar, por exemplo: nós investimos nos três portos de Santa Catarina. São Francisco, Itajaí e… Ai meu Deus. São Francisco, Itajaí …”. Moacir Pereira, um dos entrevistadores, tentou ajudar a presidente, mas foi rechaçado. “Não, minha filha (?), só um pouquinho. São Francisco, Itajaí… Qual o terceiro porto?”.

O jornalista continuava tentando ajudar, sem sucesso. Seria o Porto de Navegantes? “Não, querido. Não, não…”, disse a presidente. Dilma, então, desistiu: “Bom, nós não vamos lembrar. Eu vou lembrar, ao longo do programa eu lembro da ponte”. Mas Moacir recordou-se do nome (do porto, e não da ponte): Imbituba. Acabou ouvindo outra “bronca” da presidente pela demora: “E você é de Santa Catarina. Eu até estou bem, porque lembrei”. Ouça o trecho da entrevista abaixo.

Ouça a entrevista:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s